COMANDO GERAL ANUNCIA MEDIDAS AOS POLICIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA

Postado em Atualizado em

Em Formatura realizada hoje (28) no Quartel do Comando Geral, o Coronel Araújo, Comandante Geral, veio anunciar algumas medidas, entre elas está o Estágio de Habilitação de Cabos e o Concurso interno para Cabos e Sargentos combatentes.

O Comandante Geral anunciou que a Diretoria de Pessoal já está fazendo o levantamento dos soldados mais antigos, para que seja realizado a seleção para o Estágio de Habilitação de Cabos, onde o curso terá a duração de 30 dias.

Ao término deste período, o Comando irá abrir seleção interna para os policiais que estiverem habilitados a inscreverem-se no CFC e CFS, com o preenchimento de todas os claros existentes no Quadro Organizacional da PMRN.

A inscrição no CFC e CFS foi regulamentada pelo Decreto nº 21.667, de 17 de maio de 2010, assinado pelo Governador Iberê Ferreira de Souza, o qual dispõe que para a matrícula do militar estadual no CFC e CFS terão que computar ao menos três e cinco anos de efetivo serviço, respectivamente.

Dessa forma, o Comando Geral da Polícia Militar do Rio Grande do Norte reafirmou o compromisso para a realização do Concurso Interno, outrora já anunciado.

Anúncios

ESCLARECIMENTO

Postado em Atualizado em

Ontem, neste blog, foi publicado duas matérias sobre a votação da PEC 300, uma relatando que a votação seria na próxima terça-feira (GOVERNO VOLTA A ADIAR ANÁLISE DA PEC 300) e outra que a votação ocorreria no dia de ontem (PISO DE POLICIAIS FICA PARA HOJE). Afirmo que ambas as matérias foram retiradas de fontes de renome, o site do Congresso em Foco e o site do Jornal O Dia. Porém, uma contradizia a outra. A do Jornal O Dia, por ser posterior à do Congresso em Foco, pensei ser uma matéria verídica, o que não ocorreu. Assim, peço desculpas pelo erro cometido, e esclareço que a PEC 300 estará sendo levada à plenário para votação na próxima terça-feira (1º), havendo quórum. Caso contrário, somente no dia 08.

Obrigada pela compreensão.

Sd PM Glaucia

OFICIAIS DA PMRN RECEBEM MEDALHAS DE MÉRITO EM BRASÍLIA

Postado em Atualizado em

Oficiais da Polícia Militar do Rio Grande do Norte receberam medalha de honra em Brasília. Em solenidade realizada na manhã desta quinta-feira (27), no quartel do comando geral da Polícia Militar de Brasília, foram condecorados com a Medalha Tiradentes, o coronel Francisco Canindé de Araújo Silva – comandante geral da Polícia Militar, major Marcus Vinícius Cruz – comandante do BOPE, e a major Margarida Brandão – coordenadora do Programa Educacional de Resistência às Drogas e a Violência (Proerd).

A medalha Tiradentes é a maior comenda da Polícia Militar do Distrito Federal e é destinada a homenagear militares, civis, policiais militares e instituições que contribuam de forma relevante para o desenvolvimento da Polícia Militar.


Ainda em Brasília, o coronel Francisco Araújo participa na tarde desta quinta de reunião na Secretaria Nacional de Segurança Pública para tratar de assuntos de interesse da Polícia Militar do Rio Grande do Norte.

FONTE: DNonline

POLÍCIA CONCLUI INVESTIGAÇÃO DA MORTE DO DELEGADO NA BAHIA

Postado em Atualizado em

A polícia baiana deu como concluídas as investigações sobre o assassinato do delegado de Camaçari Clayton Leão, ocorrido na manhã ontem na estrada Cascalheira, na região metropolitana de Salvador. Em entrevista na sede da Secretaria de Segurança Pública (SSP), o secretário César Nunes e o delegado-chefe, Joselito Bispo, apresentaram os três acusados do crime e afirmaram estar convencidos de que a motivação foi uma tentativa de assalto seguida de morte, descartando a hipótese de crime de mando.

Dois dos acusados, Edson dos Santos e Reinaldo Valência, foram presos ainda na noite de ontem graças à colaboração de um motorista de táxi, que teria sido vítima deles momentos antes do assassinato. Os suspeitos estavam no táxi tomado de assalto quando emboscaram o delegado.

Eles foram localizados em bairros diferentes da cidade de Camaçari. Um terceiro envolvido, identificado como Magno de Menezes dos Santos, se entregou na manhã de hoje e disse que sua participação no caso foi apenas a de motorista dos criminosos.

Reinaldo Valência assumiu a autoria dos dois disparos. Contou que eles tentavam furtar mais um veículo e teriam encontrado o delegado parado na estrada, falando ao telefone. No momento da abordagem, Clayton dava uma entrevista ao vivo, pelo celular, a uma emissora de rádio de Camaçari, dizendo que a criminalidade estava em queda no município. O crime foi ouvido ao vivo pelos locutores e ouvintes da emissora.

Reinado afirmou ainda não saber que se tratava de um delegado, mas viu a arma entre as pernas de Clayton, que teria feito menção de pegá-la. Foi quando o suspeito confesso efetuou os disparos. Clayton Leão foi sepultado hoje no Cemitério do Campo Santo.

FONTE: Isto é

NOTA DO BLOG: Nunca vi um inquérito policial ser concluído tão rapidamente quanto este do delegado morto em entrevista ao vivo à rádio da Bahia. Não sei se essa rapidez seja sinônimo de competência ou de ineficiência. O Código de Processo Penal prevê o prazo de 10 dias para terminar o inquérito, fazendo um relatório minucioso que será enviado ao juiz competente. Associação dos Delegados da Bahia não acredita na versão dada pelos criminosos, que relataram a tentativa de um assalto. Ora se era um assalto e arma estava entre as pernas do delegado, por que os criminosos não levaram nem a arma que estava de fácil acesso?! Um dos criminosos relatou que o outro reconheceu o delegado, mas no áudio, que é bem nítido, não se escuta ninguém relatando da situação de delegado. Espero que esse inquérito, na minha opinião feito às pressas, tenha respondido estas e outras indagações, pois a vida da autoridade não volta, sendo mais um ponto na ação dos criminosos. Agora, nós somos menos um no combate à criminalidade.

PISO DE POLICIAIS FICA PARA HOJE

Postado em Atualizado em

Câmara fecha acordo para votar proposta que cria remuneração mínima para pessoal da segurança sem fixar valores

A Proposta de Emenda Constitucional (PEC 300/08) que cria o piso salarial nacional dos policiais brasileiros entra em votação na tarde de hoje na Câmara de Deputados após acordo entre lideranças partidárias e dos servidores da segurança. O acordo permitiu que o valor do piso não conste do texto da PEC, sendo ele apresentado por meio de projeto de lei tão logo a proposta seja sancionada pelo presidente Lula.

A proposta entraria em votação já na noite de ontem, mas faltou quórum na sessão extraordinária convocada pelo presidente da Casa, Michel Temer (PMDB-SP). Temer transferiu a sessão ordinária de debates para as 14 horas de hoje. Ele lembrou que haverá sessão do Congresso, às 10 horas, para a análise de projetos relacionados ao Orçamento e durante a tarde retomará a pauta de votações, que abre com projeto de lei do setor de telecomunicações. A PEC do piso salarial dos policiais deve ser analisada logo em seguida.

O acordo para votação do piso foi obtido após reunião de líderes, com a criação de comissão especial formada por seis integrantes – três indicados pelo governo e três da aposição. A meta era chegar a um texto consensual e colocar em votação a PEC. A comissão deliberou pela retirada do valor do piso do texto original da proposta.

DE R$ 3,5 MIL A R$ R$ 7 MIL

Em março, a Câmara aprovou o piso de policiais e bombeiros. O texto aprovado foi o da PEC 446/09, que prevaleceu sobre a PEC 300/08, e definiu o piso provisório de R$ 3,5 mil para os policiais e bombeiros de menor graduação e de R$ 7 mil para os de nível superior até que lei federal determinasse os valores permanentes.

A votação ficou em aberto porque faltava votar destaques apresentados ao texto principal. A fixação dos valores travou o trâmite porque a maioria dos governadores não teria verba para honrar o piso provisório sem ajuda da União.

FONTE: O Dia

GOVERNO VOLTA A ADIAR ANÁLISE DA PEC 300

Postado em Atualizado em

Depois de chegar a ser anunciado como item da pauta de sessão extraordinária, piso dos policiais e bombeiros acaba adiado novamente. Na próxima semana, líder do governo apresentará proposta oficial para negociação

Era tudo o que o governo queria. Após o dia de negociações com policiais e bombeiros, onde a PEC 300 chegou a ser anunciada às categorias como item na pauta da sessão extraordinária de hoje, o governo conseguiu adiar mais uma vez a análise da matéria.

Na próxima terça-feira (1°), às 16h30 , o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), trará uma proposta oficial do governo para o reajuste salarial dos profissionais de segurança.

Após reunião encerrada há pouco com lideranças da polícia, o petista classificou como “passo imenso” o fato de a categoria aceitar a retirada do piso salarial para policiais e bombeiros da PEC 300. Vaccarezza explicou que foram pedidas garantias de prazo para elaboração de um eventual projeto de lei, além de valores para do piso previsto na proposta de emenda à Constituição.

O petista chegou a levantar a possibilidade de o projeto contendo o reajuste salarial ser elaborado 180 dias após a promulgação da PEC. “Não dá para adiantar. Um projeto de lei agora não dá porque vai ter eleições no país e os governadores vão mudar”, argumentou o parlamentar.

Contrapondo com a comemoração governista, policiais e bombeiros saíram frustrados da reunião. Rebatendo o argumento de que não há quorum suficiente para analisar uma PEC nesta noite, um policial, que pediu para não ser identificado, desabafou: “Toda semana é a mesma pilantragem”. O texto-base da PEC foi aprovado em primeiro turno na Casa em março passado.

No início da tarde, enquanto estavam reunidos numa comissão da Câmara, as categorias da segurança chegaram a cogitar a possibilidade de invadir o Salão Verde da Casa para pressionar a votação da matéria. Entretanto, lideranças foram enviadas para conversar com deputados durante todo o processo de negociação e a ideia de invadir as dependências da Câmara acabou por perder força.

Parlamentares pró-PEC 300 criticaram esse novo adiamento da análise da matéria. “Os policiais estão morrendo de decepção”, resumiu o deputado Major Fábio (DEM-PB).

FONTE: Congresso em Foco


NOTA DO BLOG: O ideal da PEC 300 em seu surgimento era a equiparação com o salário dos policiais militares de Brasília. Passado o tempo, e a chegada da PEC 41, oriunda do Senado, na Câmara, a qual veio a apensá-la à PEC 300, o que incorporou os policiais civis no texto, virando PEC 446, e retirando a equiparação aos policiais de Brasília, fixando um piso de R$ 3,5 e R$ 7 mil; passando, dessa forma, em primeiro turno de votação na Câmara. O governo, enxergando a ameaça da PEC dos policiais, insatisfeito pelas modificações já realizadas no texto original da PEC, propôs a retirada do valor nominal da Constituição, o que após muita luta conseguiram. As lideranças policiais na Cãmara dos Deputados aceitaram a retirada do valor nominal, sendo o piso estabelecido em lei federal posterior. Ainda insatisfeito o líder do governo, Cândido Vaccarezza, decidiu pedir auxílio aos universitários, levando a proposta para apreciação do Governo para, após sua análise, dialogar mais. Enquanto eles dialogam, policiais perdem a vida em combate.

POLÍCIA PRENDE DOIS SUSPEITOS DE MATAR DELEGADO QUE DAVA ENTREVISTA AO VIVO À RÁDIO NA BAHIA

Postado em Atualizado em

A Polícia de Camaçari (região metropolitana de Salvador-BA) anunciou na noite desta quarta-feira (26) que prendeu dois homens suspeitos de participar do assassinato do delegado titular da 18ª Delegacia de Camaçari, Clayton Leão Chaves, 33, assassinado na manhã de hoje enquanto era entrevistado ao vivo pela rádio Líder FM.

De acordo com a polícia, os suspeitos confessaram que pretendiam tomar o carro de Leão de assalto mas, quando notaram que estavam diante de um delegado, resolveram matá-lo. Para preservar as investigações, a polícia não divulgou o nome dos suspeitos.

De acordo com a polícia de Camaçari, quatro pessoas teriam participado do crime. Mais cedo, outro suspeito de envolvimento no caso foi morto. Segundo a polícia, a vítima e um homem que estava em sua companhia foram abordados no distrito de Jauá, mas teriam reagido. O nome do morto também não foi divulgado. A outra pessoa fugiu.

A polícia encontrou o carro utilizado para transportar as pessoas que mataram o delegado, um Corsa branco, de placa vermelha. O veículo estava abandonado em uma estrada que dá acesso ao Pólo Petroquímico de Camaçari. Os criminosos atearam fogo ao veículo.

Morte registrada ao vivo

Pouco antes de ser morto, o delegado havia estacionado o seu carro no acostamento da estrada da Cascalheira, que liga Arembepe a Camaçari, para ser entrevistado pelo celular quando foi atingido com dois tiros na cabeça. Ele estava acompanhado pela mulher, que não sofreu ferimentos.

Chaves participava do programa “De Olho na Cidade”, comandado pelo radialista Marco Antonio Ribeiro. “Ele seria entrevistado em nosso estúdio, mas telefonou para avisar que não chegaria a tempo porque tinha levado a mulher para uma clínica odontológica. Então, ele mesmo sugeriu para ser entrevistado pelo celular, só pediu um minuto para estacionar o carro”, disse o radialista.

Segundo Ribeiro, o delegado foi entrevistado por cerca de 15 minutos, até ser atingido. “Suas últimas palavras foram ‘peraí, peraí'”, afirmou. Na gravação feita pela emissora, é possível ouvir a mulher do delegado pedindo socorro.

Policiais do Comando de Operações Especiais e um helicóptero foram deslocados para a cidade para tentar localizar e prender os responsáveis pela morte do delegado. De acordo com policiais que estão participando da caçada aos criminosos, o delegado, logo que assumiu o comando da 18ª DP, desenvolveu um trabalho específico para combater o tráfico de drogas na cidade. A última grande ação que contou com a participação de Chaves aconteceu em dezembro do ano passado, durante a “Operação Pégasus”, que realizou dez prisões em Camaçari. O principal objetivo da operação foi a desarticulação de uma quadrilha de roubo de cargas e veículos que atuava nas estradas baianas.

Com o assassinato, os policiais civis da Bahia suspenderam a greve iniciada na semana passada para investigar o crime.

Antes de ser transferido para Camaçari, Clayton Leão Chaves trabalhou como coordenador do Grupo de Repressão a Roubo a Estabelecimento Financeiro e do Centro de Operações Especiais da Secretaria da Segurança Pública, em Salvador.

FONTE: Uol Notícias