Uncategorized

MINISTÉRIO PÚBLICO DO RN ARQUIVA INQUÉRITO COM DENÚNCIAS DE SUPOSTAS IRREGULARIDADES DO CONCURSO DE SARGENTO ESPECIALISTA EM COMUNICAÇÃO

Postado em Atualizado em

A comunidade da PMRN da rede social Orkut levantou nos últimos dias o questionamento de supostas irregularidades no último concurso de sargento especialista de operação de comunicações (QPMP-2), ocorrido no ano de 2010.

Os policiais militares que participam da comunidade questionam sobre possíveis irregularidades, onde um policial candidato não constava na lista de inscritos, mas houvera realizado a prova e, apesar de ter considerado nota zero pela organizadora do concurso, o mesmo constava como aprovado, sendo promovido a 3º Sargento, devido à convocação de 40 candidatos para realizarem o curso de formação.

À época do concurso, a Associação de Cabos e Soldados (ACS/PMRN) formulou as denúncias ao Ministério Público Estadual, nas quais relatavam “irregularidades na condução desse certame, tais como a falta de publicidade do edital e a exiguidade do prazo de inscrição, o que teria inviabilizado a inscrição de policiais interessados na seleção”, além de possíveis irregularidades na relação dos inscritos na seleção por ter sido publicada com incorreções no Boletim Geral da PMRN, com trocas nos nomes dos candidatos às graduações de cabos e sargentos. Pelo que conta na denúncia, “alguns candidatos fizeram as provas em local separado dos demais e, por fim, houve mudança na relação de aprovados, com a inclusão do candidato José Nilson Silva de Araújo e a consequente exclusão do soldado Dinarte Batista da Silva. Foi questionada, ainda a inscrição do 3º Sargento Kléber Correia Lima de Azevedo no referido curso, sem a prévia aprovação na seleção”.

Sobre os erros na publicação dos nomes dos inscritos para a seleção de cabos e de sargentos, o Ministério Público do RN entendeu não haver evidências de má-fé por parte dos organizadores ou de prejuízo aos candidatos. À época, o Presidente da Comissão de Concurso, Major João Batista do Nascimento, esclareceu que todos aqueles candidatos que não constavam na listagem de inscritos, mas portavam o seu comprovante de inscrição, foram admitidos a realizarem as provas em locais separados dos demais candidatos.

“Sobre a mudança na relação de aprovados, com a inclusão do candidato José Nilson Silva de Araújo e a consequente exclusão do soldado Dinarte Batista da Silva, os documentos apresentados pela PMRN afastam os indícios de irregularidades”, constatou o Ministério Público Estadual.

“Segundo restou apurado, o soldado José Nilson Silva de Araújo não constava na relação de inscritos, mas tinha o seu comprovante de inscrição. Com base nisso, foi admitido a fazer a prova numa sala separada do Ginásio Machadinho, junto com outros oito candidatos. Ocorre que, por não constar na relação de inscritos, o seu gabarito não foi corrigido pela empresa Soluções, tendo-lhe sido atribuída nota zero. Inconformado, esse candidato recorreu à Comissão de Concursos, que, por sua vez, encaminhou o recurso à Organizadora, solicitando informações. A empresa Soluções reconheceu o equívoco no cômputo da nota daquele candidato e retificou o resultado. Com a alteração da nota, José Nilson Silva de Araújo ultrapassou vários candidatos, logrando a 32ª posição, o que implicou a reclassificação de Dinarte Batista da Silva da 40ª para 41ª posição. Desse modo, Dinarte Batista da Silva ficou fora do universo de classificados”, relata o MPRN.

Quanto à inscrição de Kléber Correia Lima de Azevedo no curso de Sargento Especialista QPMP-2, a Polícia Militar do RN esclareceu que esse policial já era 3º Sargento e que foi inscrito no curso, tão somente, para adquirir a habilitação respectiva, sem qualquer prejuízo aos demais candidatos.

Apesar do Ministério Público do RN reconhecer que “as supostas irregularidades ventiladas nas denúncias não passarem de erros e desencontros comuns em toda seleção com muitos candidatos”, todas as alterações referentes aos candidatos, quer seja inclusão de candidatos, atribuições de notas ou qualquer outra alteração, deveriam ter sido publicadas em Boletim Geral da Corporação para dar a devida publicidade no respectivo concurso.

A verdade é que muitos candidatos não sabiam a empresa organizadora no dia da realização das provas, já que em momento algum fora publicado o nome da empresa em documento oficial da PMRN, qual seja o Boletim Geral. Além do mais, a forma como as provas foram realizadas também poderia ser considerada como irregularidades, já que a Polícia Militar do RN poderia ter utilizado de suas dependências físicas, como a Academia de Polícia Militar e o Centro de Formação de Praças da PMRN, para a aplicação das provas, uma vez que a aplicação das provas no Ginásio Machadinho provocava naturalmente a fraude no concurso através de consultas entre os próprios candidatos.

Entretanto, o MPRN, mesmo em face das suspeitas ventiladas, não visualizou irregularidades “que fujam àquelas inerentes a qualquer seleção pública”, determinando o arquivamento do Inquérito Civil nº 049/10.

Matéria criada pela Sd Glaucia, com informações da ACS/PMRN

Anúncios

COMANDANTE GERAL AFIRMA QUE TC ELIEZER SÓ SAI DE MOSSORÓ "SE ELE QUISER"

Postado em Atualizado em

A possível transferência do ainda novato tenente coronel Eliezer Rodrigues, do comando da Polícia Militar de Mossoró, só ocorrerá com o seu consentimento. Isso é o que afirma o comandante geral da Polícia Militar do RN, coronel Francisco Canindé de Araújo.

“Ele só sairá se ele quiser sair para ir pra direção de um presídio. Haverá uma mudança só se ele quiser. Hoje não há nenhuma confirmação a esse respeito”, destaca Araújo.

De acordo com o comandante geral, o atual comandante da PM de Mossoró teria manifestado interesse em ir trabalhar no Presídio de Caicó. “Ele disse a mim que tem interesse em ir pra lá. Isso depende de uma nomeação da Secretaria da Justiça. Se tiver essa oportunidade e ele quiser realmente ir, vamos estudar a possibilidade de um novo comandante”, destaca o oficial.

Procurado pela reportagem ontem à tarde, Eliezer Rodrigues afirmou que realmente teria interesse em sair de Mossoró, mas reconhece que está há pouco tempo na cidade e que ainda não teve oportunidade de realizar um bom trabalho à frente da PM local.

“Eu cheguei há pouco tempo e sair tão rápido tem um certo custo. Já estou me estabilizando na cidade e é oneroso. Mas eu vou aguardar o que meu comandante decidir”, destacou o oficial militar.

Caso seja transferido de Mossoró, Eliezer afirma que gostaria de voltar para Caicó, onde trabalhou na Polícia Militar por 12 anos, sendo cinco deles como comandante local.
“Se fosse pra sair daqui, gostaria de ir para o Presídio de Caicó. É a terra da minha família e eu me sentiria melhor se voltasse pra lá. Por enquanto, estou aguardando uma resposta”, externa o PM.

FONTE: Jornal de Fato

NOSSOS HERÓIS ESTÃO MORRENDO

Postado em Atualizado em

PM’s vítimas de descaso.


Nos últimos meses no Rio Grande do Norte temos presenciado tragicamente a morte ou a ofensa física de servidores da segurança pública ostensiva. Isto nos preocupa bastante porque de quem mais se cobra responsabilidade pela própria resposta à sociedade pela segurança pública, de repente também se vê vítima de ação, premeditada ou não, de meliantes aptos a praticarem o mal, ou nos dizeres bíblicos, sempre prontos para roubar, matar e destruir.
Mas quem protege os que protegem? Será que nossos guardiães que realmente são preparados para a defesa da sociedade e do próximo estão aptos para defenderem a si próprios quando da ocorrência de conflitos? Temos aquele velho jargão de que em casa de ferreiro o espeto é de pau. A gente nunca sabe, no mundo de hoje, quando a violência pode aparecer.

Em menos de um mês presenciamos valorosos policiais abatidos em serviço. Primeiro tivemos o caso da linha 33 onde o heróico soldado tombou em defesa da sociedade e um sargento da PM também foi seriamente ferido. Depois também de forma não menos trágica, tivemos a morte do policial herói em estrito cumprimento do dever legal em Baia Formosa e outro gravemente ferido. Por último, em um momento de lazer e entretenimento, aliás, frise-se, raros momentos estes, pois o PM trabalha numa escala estressante e pouco tempo dispõe para a família, vemos um oficial dos mais gabaritados sesquicentenária instituição policial-militar, ser alvejado por meliante sedentos de ações maléficas.

Quando a sociedade brasileira pergunta quanto percebe um policial militar para o exercício árduo, estressante e perigoso do serviço ostensivo da segurança pública e quando vem a resposta que o salário deste cidadão, que jura defender o próximo mesmo com o risco da própria vida, soa como uma comédia. E ainda há pessoas que dizem que o policial militar não merece o soldo que recebe.

Vimos ultimamente o estelionato que a câmara federal impôs aos policiais de todo o Brasil. Diante da proximidade da eleição de 2010, votaram e aprovaram por unanimidade em primeiro turno a PEC 300, proposta de emenda à Constituição que equipararia os salários das PMs de todo o Brasil com os valores pagos aos PMs de Brasília. Agora, depois do pleito, com a casa eleita por quatro anos e com novo governo que aliás prometeu empenho na aprovação da PEC dos PMs, BMs e Civis, estão achincalhando a categoria policial militar, nem aí para o que ganha um PM no Brasil. E olha que levaram menos de cinco minutos para aumentarem os próprios salários em mais de sessenta por cento. Hoje um PM no Distrito Federal ganha um salário digno mas, por exemplo, no Rio de Janeiro onde a PM é a verdadeira força heróica da sociedade, tendo expulsado inimigos públicos e agora juntamente com os Bombeiros Militares, lutam para ainda salvar os desalojados e vítimas das enchentes, percebem um salário que nem é bom comentar. Onde está a justiça nisso?

Pois é. Dois pesos e duas medidas. Enquanto uns arriscam as vidas diuturnamente, inclusive tombando, deixando para trás familiares, amigos, percebendo salários incompatíveis com a função, outros estão por trás de luxuosas escrivaninhas, dentro salas climatizadas, tomando cafezinho e água, ditando as regras do jogo e percebendo salários de fazer inveja à qualquer pessoa.

Já está na hora da própria sociedade se mobilizar e dar um basta nesta situação caótica. Chega de relegar profissionais que lidam com a vida arriscando a própria a um segundo plano. Também é sabido em nosso pais, sétima economia mundial, que não se investe seriamente em educação e saúde pública. O cidadão morre a míngua nos hospitais pelo Brasil afora e a educação é uma das piores do mundo.

Que o exemplo dos policiais militares do RN e os tantos outros que tombam todos os dias em defesa da sociedade possa tocar na mente e no coração dos homens e mulheres que estão no poder deste país. Que estes heróis sejam realmente reconhecidos pelo serviço árduo, perigoso e dedicado que prestam. Tudo isto para que os nomes dos PMs que tombaram no Estado do Rio Grande do Norte não caiam no limbo das matérias mofadas da mídia e sejam esquecidos. É preciso urgentemente tomar providencias contra o crime que se alastra em nosso meio social e as providencias necessariamente passam pelo fiel reconhecimento da pessoa que se investe na qualidade de defensor ferrenho da comunidade.

Major Castelo Branco

FONTE: Dica Segura

POLICIAL BOM… É POLICIAL VIVO!

A PMRN EM AÇÃO

Postado em Atualizado em

Ações e apreensões realizadas pela polícia militar, retirando bandidos da rua e preservando a ordem pública. Confira:

NATAL – Dois carroceiros são presos após furtarem casas e carros na Zona Sul

GRANDE NATAL – Troca de tiros com a polícia deixa assaltante morto

ALEXANDRIA – Condutor autuado por homicídio e adulteração de veículo

PATU – GTO prende em flagrande arrombador