[PAGAMENTO DO RN] Com atrasos, famílias de servidores cortam gastos

Postado em

Por Tribuna do Norte

No início da tarde da sexta-feira passada, o valor dos juros das contas atrasadas de Jorge Simão de Góis Júnior e Célia Nunes de Melo Góis, ambos servidores da Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (SEEC) aposentados, se aproximada de R$ 1 mil. A idosa agradecia, na Catedral Metropolitana, o recebimento das aposentadorias com 14 dias de atraso, e se questionava por quais razões tinha se aposentado. “Eu poderia não ter me aposentado. Os ativos estão recebendo antes. Só assim, não estaria sofrendo tudo isso. Eu piorei dos rins e hoje faço hemodiálise três vezes por semana. Meu marido está com Alzheimer. Nunca vivi situação tão difícil como essa. Contas atrasadas, juros altos e nem mais o medicamento dele a gente consegue tirar na Unicat, pois sempre está faltando”, relatou com os olhos marejados.

Como num jogo de xadrez, ela escolhe a melhor estratégia para não ter o nome negativado no comércio. Isto porque o atraso no pagamento das aposentadorias que sustentam a família faz ampliar o que ela chamou de “coleção de contas”. Na sexta-feira passada, ela saiu pagando o que podia no centro da cidade, antes de seguir para mais quatro horas de sessão de hemodiálise. “Quando há um atraso, tudo se desorganiza. Meus pagamentos do plano de saúde estão atrasados. Os juros do cartão de crédito são muito altos. Não tenho mais condições de fazer empréstimos e até para comprar comida está difícil, pois se não pagar o cartão do supermercado a fatura dobra de valor. Eu cortei o que podia e só estou comprando o que é necessário, que é basicamente alimentação”, destacou a aposentada.

Sem saber as datas em que receberá o salário nos próximos meses, Célia Góis disse que está cortando todas as despesas extras para garantir uma reserva de emergência. Ela relembrou que o pagamento do mês de agosto só foi efetuado em 17 de setembro, desestabilizando o cronograma financeiro da família. “Serviço público não é mais sinônimo de estabilidade. Está tudo muito difícil. Eu fiz duas faculdades, sou aposentada e estou enfrentando tudo isso. Semana passada quase que eu ia parar no SPC, pois a operadora de celular estava me cobrando e eu não tinha como pagar a conta”, relembrou. Nem mesmo a faculdade da filha do casal, estudante de Direito, escapou dos atrasos. Célia Góis citou que pagou praticamente o valor de outra mensalidade pois atrasou o depósito do mês passado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s