Descontrole financeiro do Governo afeta contas de policiais militares

Postado em Atualizado em

Por Glaucia Paiva, via Portal BO

Uma das vantagens do serviço público que atrai cada vez mais os interessados em ingressar nos cargos públicos é a estabilidade financeira. No entanto, no Estado do Rio Grande do Norte essa estabilidade financeira já não é mais uma realidade para os servidores públicos que a cada mês vê seus direitos sendo cerceados por Decretos Governamentais.

Os policiais militares, por exemplo, vem sentindo na pele e no bolso o descontrole financeiro e os ditos Decretos, sempre com prazos indeterminados, emitidos pela Chefe do Executivo. São promoções que não são pagas, mudanças de nível, Diárias Operacionais, férias, e, agora, o décimo terceiro salário.

Bem verdade que o Governo do Estado tem até o dia 20 de dezembro para realizar o pagamento da gratificação natalina aos servidores públicos, mas lembro que, como em um contrato, quando reitaradamente há o cumprimento de uma obrigação, como no caso da antecipação do 13º há anos, e com a falta da divulgação do calendário de pagamento pelo Governo, este teria a obrigação de realizar o pagamento conforme já vinha sendo praticado em anos anteriores, uma vez que gerou a expectativa pelo servidor público em seu cumprimento.

Outra questão relevante foi a sustação do pagamento das férias em agosto de 2013 pelo período de 90 dias, que na verdade perdurou por seis meses, desestabilizando as contas financeiras de cerca de 70% dos policiais militares do Estado. Soma-se a isso, a falta de pagamento das diárias operacionais, da mudança dos níveis remuneratórios e as promoções, todos sem estar sendo pagos devidamente.

São todos esses fatores somados a outros que vem desestabilizando os polciiais militares endividando-os cada vez mais. “Estamos voltando ao passado quando ninguém queria vender aos PM’s com medo de calote”, disse um policial.

Em conversa informal com um policial, o mesmo já admitiu não saber mais o que fazer para equilibrar suas finanças, uma vez que ainda sofre com o atraso do pagamento das férias desde o ano passado.

“Tive que sacar o cheque especial pois contava com as férias. Elas não foram pagas. No início do ano, ainda devendo ao cheque especial, adiantei o décimo, que também não foi pago. Sacrifiquei minhas folgas para trabalhar na Copa por diárias operacionais e, finalmente, equilibrar as finanças, mas também não foram pagas”, desabafou o PM.

Outro ponto de destaque do descontrole do Estado, é a questão dos inativos e pensionistas da Polícia Militar, os quais a todo mês vem sendo preteridos e tem seu pagamento retido em média de dez dias, dificultando a vida dos que já possuem uma idade já avançada e com a saúde comprometida e que necessitam comprar medicamentos.

Anúncios

13 comentários em “Descontrole financeiro do Governo afeta contas de policiais militares

    Fernando disse:
    agosto 20, 2014 às 18:41

    Cara Glaucia, esses atrasos nos salários são para todos os funcionários públicos do estado ou só está acontecendo com os policiais?
    Você saberia nos dizer o que é que o Ministério Público do estado, que deveria nos representar nesse momento, está fazendo que não vê essa situação com os funcionários e NÃO FAZ NADA?
    Por acaso à alguma explicação para esse não pronunciamento do mesmo?

    decpção disse:
    agosto 20, 2014 às 18:23

    glaucia e verdade que ja se comenta por ai nos quarteis e secretarias do gov que dezembro nada de dec e pagamento do mes vão deixa pro outro gov e verdade.

    galdino disse:
    agosto 20, 2014 às 11:37

    galdino ,faço as palavras do companheiro,
    Glaucia parabenizo você por ter falado em seu blog a situação dos Inativos e percionistas, que vem sendo massacrado desde o inicio deste governo, o exemplo foi o subsidio, teve que entrar na justiça pra receber com muitas massadas e os que não colocou na justiça recebeu em 10 parcelas, ficando os meses em atrasos que até hoje não foi pago, a justiça determina pagar e esse governo não cumpre, em 26 anos de policia foi o pior governo na historia do rio grande do norte, mais lembro bem, quem andava com ela na campanha passada, debaixo dos braços era o SR. Garibaldo Alves e o Sr. Henrique Eduardo, são todos os mesmos, o pior do jeito que os Alves gosta de Policia, ai de nos em 2015, se realmente o Governo for um dos Alves,

    esperança disse:
    agosto 20, 2014 às 10:10

    A incompetência do desgoverno pede atitude drástica e radical por parte do funcionalismo,quetal uma greve geral; saúde, professores, policia militar e civil,e o povo se manifestando nas ruas. Para conseguir a paz é presiso guerrear!

    Sdhellboy disse:
    agosto 20, 2014 às 10:09

    Réplica a Josefa Costa: “o burro só deixa ser açoitado pq não sabe da força que tem” esse é o problema dos praças e vc em sua declaração foi infeliz pq os oficiais fazem partem do governo.Todo o mundo sabe quem promovem oficiais é o governo diferente dos praças que é o comandante e vc acha que os 100 oficiais hoje ficariam na frente dos praças?Até pq quem faz o nome da instituição são os praças e não os 100 oficiais(sem criar divisão na tropa) – Tanto faz eles estarem lá ou não,não faz diferença nenhuma-.Tem oficial de dia que se cadastra e nunca mais modula na área só pra dar baixa no serviço.E voltando ao assunto com relação a história, ela está aí para servir de base para não se cometer os erros do passado se não o nome não era história,etimologicamente significa: História (do grego antigo ἱστορία, transl.: historía, que significa “pesquisa”, “conhecimento advindo da investigação”)1 é a ciência que estuda o Homem e sua ação no tempo e no espaço, concomitante à análise de processos e eventos ocorridos no passado. História como termo também pode verificar toda a informação do passado que pode ter sido requerida ou arquivada em todas as línguas por todo o mundo, isto como intermédio de registros. Algumas abordagens são mais frequentes em certos períodos do que em outros e o estudo da História também acaba apresentando costumes e modismos (o historiador procura, no presente, respostas sobre o passado, ou seja, é influenciado pelo presente).ok, obg pela crítica isso nos induz a argumentar sobre assuntos e,particularmente, é o que eu mais ADOROOO!!!

    GLORIA disse:
    agosto 19, 2014 às 20:50

    Parabens GLAUCIA abordar temas tao necessarios ao conhecimento da sociedade.Lamento que com todos estes fatos ainda tenhan coragem de escalar SD para DO.Nota 10 para o comentario de CARLOS que abordou o minimo de respeito necessario a categoria por seus comandantes.

    Sem $$$ disse:
    agosto 19, 2014 às 19:17

    Eu só acredito em político no dia em que for criada uma Lei que obrigue os candidatos a cumprirem o que prometem nos debates, no rádio e na TV, sob pena de ficarem ficha suja ou cadeia. Enquanto essa lei não for inventada, MEU VOTO É NULO, pois prefiro votar em ninguém do que ajudar a eleger um mentiroso(a). Aliás, são TODOS FARINHA DO MESMO SACO, pois basta o bem intencionado entrar NO SISTEMA para começar a fazer parte dele, e mesmo que não queira entrar no esquema será ABAFADO pelos outros colegas e sairá com a imagem de incompetente, pois não aprovará nada que ajude o povo. Alguém duvida que a coisa funcione assim???

    “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.”
    Senado Federal. Rio de Janeiro, DF
    Obras Completas de Rui Barbosa.
    V. 41, t. 3, 1914. p. 86

    Luciano disse:
    agosto 19, 2014 às 13:34

    muito bom seu texto Glaucia, por isso que deveria-mos ter brigado, não só pelo reajuste do subsidio (que duvido que seja pago) mas também por todos estes pontos que estão em atraso, ora se esse governo incompetente não esta cumprindo com pagamento de férias, de mudança de nível, promoções, D.O, como vai honrar este compromisso de reajuste?, que diga-se de passagem, foi outra porcaria. oq nos falta é ter peito de enfrentar uma situação como esta com radicalismo, que é a única linguagem que esse povo entende, acampar todo efetivo na porta da governadoria e so sair de la quando resolver essa situação, alguns podem até me criticar, falar que reclamo mais nunca participei de movimentação, nem participo, pra fazer essas papagaiadas que fazer, de fazer movimentos, pra no fim baixar a cabeça e aceitar esmola desse governo, agora me chame pra invadir a governadoria e so sair de la quando pagarem minha mudança de nível e meu salário de CB, que vcs vão ver um cabo vei cansado, mas com peito, esse povo so entende 8 ou 80, meio termo eles nem olham.

    josé Euzebrio de morais disse:
    agosto 19, 2014 às 13:32

    Glaucia parabenizo você por ter falado em seu blog a situação dos Inativos e percionistas, que vem sendo massacrado desde o inicio deste governo, o exemplo foi o subsidio, teve que entrar na justiça pra receber com muitas massadas e os que não colocou na justiça recebeu em 10 parcelas, ficando os meses em atrasos que até hoje não foi pago, a justiça determina pagar e esse governo não cumpre, em 40 anos de policia foi o pior governo na historia do rio grande do norte, mais lembro bem, quem andava com ela na campanha passada, debaixo dos braços era o SR. Garibaldo Alves e o Sr. Henrique Eduardo, são todos os mesmos, o pior do jeito que os Alves gosta de Policia, ai de nos em 2015, se realmente o Governo for um dos Alves,

    Carlos disse:
    agosto 19, 2014 às 10:21

    Eleições vêm aí e seremos, mais uma vez, OBRIGADOS a trabalhar com todos esses descumprimentos dos nossos direitos. E se não trabalharmos? isso mesmo: crime, processo, parte, dever de informar, etc, etc, etc…. LAMENTÁVEL. Só tenho uma coisa a implorar ao comandante: enquanto o estado não regularizar essa lamentável situação, nos deixe no VOLUNTARIADO para trabalhar nas eleições. É O MÍNIMO que se pode fazer para conosco, o MÍNIMO, um caso HUMANITÁRIO, de respeito não ao cidadão policial, mas ao cidadão HUMANO, à PESSOA HUMANA que somos. Comandante, o senhor não tem mais nada a perder, aliás, nunca teve. Marque esse GOL e saia da cadeira por CIMA, lutando pela DIGNIDADE da tropa. Se o estado está numa situação financeira difícil, então que não nos obrigue a trabalhar na nossa suada e merecida folguinha. Isso pelo menos amenizaria tanto massacre em cima de nós. Agora termino o meu choro (sim, choro mesmo) fazendo igual ao John Lennon: “pode dizer que sou um sonhador, mas não sou o único”.

    Josefa Costa disse:
    agosto 19, 2014 às 8:44

    Que comentário infeliz desse amigo acima. Já não basta os mandos e desmandos dos oficiais que tem o regulamento nas mãos, o mesmo ainda quer entregar o Estado e a Nação aos (OFICIAIS). Porque aos praças não será. Um pouco de história seria bom.

    Observador disse:
    agosto 19, 2014 às 8:00

    “BARCO PERDIDO, BEM CARREGADO”. Por esse lado é que vejo essa situação. A culpa não é do funcionalismo, a culpa não é das pensionistas, a culpa muito menos é dos policiais. Entendo que a culpa minha máxima culpa é de instituições competentes que não tomaram providencia.
    Pelo jeito, dar para se pensar o não recebimento dos salários dos dois últimos meses do ano.

    Sdhellboy disse:
    agosto 18, 2014 às 23:07

    É hora de darmos um novo golpe de estado ,kkkk, é o único caminho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s