Soldado Glaucia

"O verdadeiro desafio não é inserir uma idéia nova na mente militar, mas sim expelir a idéia antiga" (Lidell Hart)

Governo já se apropria indevidamente de mais de R$ 500 mil em oito meses por diferença de níveis da turma de PM’s de 2004

Por Glaucia Paiva, via Portal BO

Não é de hoje a notícia de que o Governo do Estado não vem cumprindo com suas obrigações pecuniárias junto aos servidores. Na Polícia Militar, por exemplo, PM’s tem seus salários desatualizados mesmo após ocorrência de promoções como também de mudança de nível.

São vários meses, até anos, que os policiais, mesmo sendo promovidos, ainda continuam a receber o salário da graduação e posto anterior à promoção. Centenas de PM’s encontram-se nessa situação, tendo suas diferenças salariais apropriados indevidamente pelo Estado, apenas observando sua remuneração ficarem com os temidos “restos a pagar”.

O mesmo vem ocorrendo com a diferença de níveis dos PM’s, os quais possuem uma progressão salarial a cada 3 anos (triênio). No entanto, esse mesmo direito concedido pelo atual Governo na implantação do subsídio, está sendo cerceado. Milhares de policiais já fizeram jus a progressão trienal, mas o Governo apenas ignora e se apropria indevidamente de uma parcela do salário do servidor policial militar.

O blog fez uma rápida análise e constatou que somente dos policiais militares pertencentes à turma de soldados de 2004, o Governo já se apropriou indevidamente de mais de R$ 500 mil. Isso por que a parcela devida por mês a cada PM da turma de 2004 é de R$ 70,02. Diferença mínima, mas ao analisá-la no todo, em oito meses (período que os PM’s fazem jus) o Estado já se apropriou de R$ 560,16 de cada Soldado da turma de 2004, totalizando a apropriação indevida em R$ 504.144,00. Ressalte-se que esse valor se refere apenas aos PM’s da turma de Soldados do ano de 2004, ou seja, um total de cerca de 900 PM’s.

Muitos policiais já ingressaram na Justiça para terem seu salário devido pago pelo Estado, outros continuam a esperar a boa vontade e a consciência dos gestores em honrarem suas dívidas. Afinal, uma das transgressões militares pelas quais o PM pode ser punido é a assunção de dívida superior às suas expectativas salariais. Dessa forma, nada mais justo que isso também seja refletido na gestão pública. 

About these ads

DESVIO DE FUNÇÃO: PM’s são deslocados para realizarem custódias de presos em hospitais

Por ACS/PMRN

Em uma realidade onde se fala tanto em insegurança pública, Policiais Militares estão sendo retirados do policiamento nas ruas, para fazer custódia de presos no Hospital Walfredo Gurgel.

De acordo com o presidente da Associação de Cabos e Soldados do Rio Grande do Norte (ACS/RN), a medida tem gerado insatisfação da categoria. “Ficar parado em um hospital não é o local ideal de trabalho de um policial, que deveria estar na rua combatendo a insegurança. Além de não ter estrutura para abrigar o serviço de guarda, eu entendo como desvio de função”, explica Campos.

O presidente da ACS/RN acredita que esta seria função dos agentes penitenciários. “A carga horária é muito prolongada para o efetivo reduzido. Teremos apenas dois homens para trabalharem durante 24 horas, atendendo a uma média de sete presos diariamente, ‘fazendo o translado’ dos detentos algemados, muitas vezes debilitados, de um lado a outro do hospital”, diz.

Uma média de 15 a 17 policiais que se apresentarão ao serviço, às 9h, desta terça-feira, dia 22, na Companhia Independente de Policiamento de Guarda (CIPGD). Logo em seguida, às 10h, haverá reunião da ACS/RN com o comando da Companhia e às 11h, os policias seguem para o Walfredo Gurgel para verificar as condições do hospital.

Policial Civil faz desabafo em rede social e denuncia condições de trabalho

Por Glaucia Paiva

Após divulgação em um jornal local de uma declaração do Secretário de Segurança Pública do Estado, General Girão Monteiro Filho, que teria recomendado aos policiais civis que estiverem insatisfeitos procurarem outra profissão, um agente de Polícia Civil teria reagido à declaração e emitido um desabafo na rede social.

Em seu desabafo, o policial civil denuncia a falta de estrutura pela qual passa a Instituição Policial do RN, com a falta de armamento, coletes e até algemas. Na sua explanação, ainda, o agente solicita que o Secretário seja justo e haja com dignidade assumindo a omissão do Estado.

Quanto à declaração do Secretário sobre a insatisfação dos PC’s, o agente afirma ter sido infeliz a declaração e que o Secretário não teria o conhecimento real da situação da Polícia Civil do Estado. Ao final, o policial convida a todos, sociedade e autoridades da Segurança Pública do Estado, a visitarem as delegacias para “in loco” apreciarem a situação das Unidades Policiais do Estado.

Confira na íntegra a declaração veiculada pelo Policial Civil.

Sou policial civil há 14 anos. Nunca faltei um dia de trabalho. Nunca fui punido. Entretanto, até hoje, espero receber do Estado arma, colete à prova de balas e algemas, condição primária para desenvolver a atividade de polícia judiciária, como preconiza a Lei Complementar nº 270/04, em seu art. 89. Igualmente, devemos ter dezenas de colegas que se encontram na mesma situação, trabalhando com equipamentos particulares, adquiridos com recursos próprios.

Gostaria de saber do senhor, General Eliézer Girão Monteiro Filho, se a equipe que faz a sua segurança pessoal usa armas inadequadas, munições vencidas, coletes vencidos e, ainda, se o senhor usa seu veículo particular para trabalhar, abastece as viaturas que o acompanham por onde anda com o próprio dinheiro, se paga suas despesas a serviço do Estado com dinheiro próprio, etc. Assim sendo, como pode exigir que desenvolvamos profissão de risco sem as condições básicas de segurança, amparados apenas pelo juramento quando na admissão na carreira. Como pode um médico operar sem bisturi (com uma faca)? É essa a qualidade do serviço que o senhor quer oferecer a nossa sociedade que clama por segurança? Seja justo, haja com dignidade e assuma a omissão do Estado que o senhor o representa enquanto Secretário. Denuncie a omissão desse Governo desastroso que o senhor faz parte. Assuma que os policiais civis do nosso Estado são verdadeiros heróis e não os trate como delinquentes, pois não somos.

Gostaria de informar a sociedade da existência do parecer da Promotoria de Controle Externo da Atividade Policial, no Inquérito Civil 09/2012, fls 05: “neste contexto de elevada deficiência de pessoal, a solução encontrada para manter em funcionamento as Polícias Militar e Civil foi a convocação dos policiais para o trabalho extraordinário, com sacrifício das folgas, mediante o pagamento de diárias em valor mórdico, numa indisfarçável exploração da mão de obra policial” procedimento presidido pelo  Promotor Wendell Betoven Ribeiro Agra.

Gostaria ainda de solicitar a Comissão de Direitos Humanos da OAB que visitem delegacias e acompanhem a forma desumana de trabalho imposta pelo Estado aos policiais civis.

Gostaria também de informar aos Delegados de Polícia que não apoiam nossas reivindicações que nós não somos inimigos, mas, sim, parceiros, irmãos, prontos para protegermos uns aos outros nas incursões policiais, aos quais reitero o pedido feito acima ao senhor Secretário de Segurança: que sejam justos e dignos da função que ocupam, denunciando a condição desumana de trabalho que nos é imposta.

E, por último, que não sou sindicalista, nem tenho vontade de ser, nem estou me reportando como representante de classe, apenas fazendo um desabafo pessoal como resposta às declarações infelizes do gestor da SESED, acredito eu que por falta de conhecimento da real situação da Polícia Civil do nosso Estado. Aproveitando a oportunidade, convido ainda a população e os órgãos competentes a visitarem as delegacias para, in loco, apreciarem a situação das Unidades policiais do Estado.

Justiça determina que Estado aumente efetivo da PM em Baraúna

Por MPRN

O juiz de Direito da comarca de Baraúna, Cláudio Mendes Júnior, condenou o Estado do Rio Grande do Norte, em ação civil pública de autoria do Ministério Público Estadual, a implementar melhorias na infraestrutura do Pelotão da Polícia Militar daquele município.
Na sentença, o magistrado determina que o Estado deve “providenciar o aumento do efetivo da PM do município de Baraúna dos atuais 12 policiais para 42; fornecer materiais bélicos (armas e munições) e instrumentos necessários ao policiamento (algemas e rádio comunicador; fornecimento de viaturas em boas condições de uso, que possibilitem o patrulhamento das áreas rurais e estradas vicinais; e local adequado para abrigamento dos policiais militares, inserindo-se previsão para tanto no primeiro orçamento anual a ser efetivado após o trânsito em julgado da sentença.”
Na ação civil pública nº 0000798-142012.8.20.0161,  o Ministério Público Estadual afirma que o sistema de segurança pública do Rio Grande do Norte, como um todo, “padece de uma terrível chaga que impede  o seu eficaz funcionamento, destacando-se dentre os principais problemas do município, o reduzido quadro de policiais militares.”
Nos argumentos apresentados na ação civil, o MP diz que “o Pelotão da Polícia Militar de Baraúna funciona em local impróprio, insalubre e inseguro, inclusive os presos são mantidos no mesmo prédio; as viaturas são em número reduzido e funcionam em péssimo estado de conservação e sem manutenção necessária; faltam materiais essenciais como armas, coletes, algemas, computadores e impressoras.”
Ao destacar que “o município de Baraúna é um dos mais violentos do Estado, sendo frequente ocorrências de assaltos a agências bancárias e correios, bem como homicídios,” o MP afirma que o Pelotão da PM funciona com apenas 12 policiais, quando o número mínimo é de 30 policiais. Mas a Secretaria de Segurança e Defesa Social diz que o número necessário de agentes seria de 42.

Aprovado estatuto que garante poder de polícia às guardas municipais

Por Senado

O Plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (16) projeto que cria o Estatuto Geral das Guardas Municipais. Com a aprovação do texto (PLC 39/2014 – Complementar), do deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), a categoria passará a ter direito ao porte de arma e à estruturação em carreira única, com progressão funcional. O projeto, que tramitava em regime de urgência, será encaminhado à sanção presidencial.

De acordo com o projeto, as guardas municipais terão poder de polícia com a incumbência de proteger tanto o patrimônio como a vida. Deverão utilizar uniformes e equipamentos padronizados, mas sua estrutura hierárquica não poderá ter denominação idêntica a das forças militares.

O Estatuto Geral das Guardas Municipais regulamenta dispositivo da Constituição que prevê a criação de guardas municipais para a proteção de bens, serviços e instalações. A guarda municipal deverá ainda colaborar com os órgãos de segurança pública em ações conjuntas e contribuir para a pacificação de conflitos. Mediante convênio com órgãos de trânsito estadual ou municipal, poderá fiscalizar o trânsito e expedir multas.

Outra competência é encaminhar ao delegado de polícia, diante de flagrante delito, o autor da infração, preservando o local do crime. A guarda municipal poderá ainda auxiliar na segurança de grandes eventos e atuar na proteção de autoridades. Ações preventivas na segurança escolar também poderão ser exercidas por essa corporação.

O projeto prevê igualmente a possibilidade de municípios limítrofes constituírem consórcio público para utilizar, reciprocamente, os serviços da guarda municipal de maneira compartilhada.

Esse consórcio poderá ficar encarregado também da capacitação dos integrantes da guarda municipal compartilhada. Todos os guardas deverão passar por esse tipo de capacitação e currículo compatível com a atividade.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), relatora do projeto na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), parabenizou guardas municipais que desde cedo aguardavam a votação em Plenário. O projeto tramitou mais de dez anos no Congresso. Ela ressaltou que a aprovação do estatuto colabora para melhorar a segurança da população.

Gleisi explicou que aceitou emenda de redação do senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) para definir as competências das guardas municipais e das outras forças policiais.

A aprovação também foi saudada pelo senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE). Para ele, o estatuto colabora para a manutenção da ordem e da segurança em várias regiões do país.

Antes de concluir a votação do projeto, o presidente do Senado, Renan Calheiros, disse que sua aprovação representa um avanço e defendeu a alocação de mais recursos para a área de segurança pública.

Durante a discussão da matéria, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) concordou com a retirada de requerimento de sua autoria que solicitava o exame do projeto pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).

ELEIÇÕES 2014: Candidatos ao Governo do RN apresentam propostas para a Segurança Pública à jornal local

Por Glaucia Paiva, com informações do Jornal de Hoje

Nessas eleições, cinco candidatos se habilitaram junto ao Tribunal Superior Eleitoral para concorrer ao cargo do executivo no Estado. Araken Farias (PSL), Henrique Alves (PMDB), Robinson Faria (PSD), Professor Robério Paulino (PSOL) e Simone Dutra (PSTU) são os cinco candidatos ao cargo de Governador do RN e suas propostas iniciais para a segurança pública variam de criação do plano de cargos e salários para as polícias até o apoio à desmilitarização.

Araken Farias (PSOL – 17)

O candidato do PSOL, Araken Farias, aposta na realização do concurso da Polícia Civil e Militar e a criação de um plano de cargos e salários para ambas as polícias (Civil e Militar), além de uma capacitação permanente de seus integrantes.

Araken promete ainda modernizar todos os órgãos envolvidos no sistema de segurança pública (ITEP, PCRN, PMRN), além de criar um sistema de monitoramento em cada escola contando com a ajuda de cidadãos para evitar e inibir o tráfico de drogas nesses estabelecimentos. Outra proposta do candidato do PSOL é a averiguação de cada cidadão abordado pela polícia com verificação da Polinter.

Henrique Alves (PMDB – 15)

Candidato pelo PMDB, Henrique Alves também defende a ampliação do efetivo da Polícia Civil e afirma que terá prioridade no combate ao tráfico de drogas, identificando comunidades com maior incidência de tráfico e uso de drogas.

Henrique diz ter o desejo de implantar um Sistema Unificado de Segurança Pública, com a participação do Governo, Judiciário e da sociedade civil. Outro ponto destacado pelo candidato é a qualificação permanente do efetivo da segurança pública do Estado, privilegiando a tecnologia de informação e a gestão do conhecimento.

Outra proposta de Henrique é a criação do “Linha Direta” e “Disk Denúncia Unificado”, além de observatórios locais de Segurança Pública, preferenciando as estruturas móveis e ampliando a Polícia Rodoviária Estadual.

Robinson Faria (PSD – 55)

Candidato pelo PSD, Robinson Faria pretende criar um sistema integrado de Polícia Civil e Militar, melhorando a estrutura logística de ambas corporações e bonificando suas atuações.

Robinson aposta na filosofia de Polícia Comunitária, com a interação da polícia e a comunidade. Outro ponto em destaque é a criação de Centrais de Polícia, funcionando 24 horas por dia, instaladas nos principais pontos da Capital, acabando com a questão de Delegacia de Plantão. De acordo com a proposta, a Central de Polícia contará com policiais civis, militares e servidores do ITEP, trabalhando de maneira integrada.

Robinson ainda critica o desvio de função e promete aumentar o número de policiais no Estado e defende, antes de mais nada, o tratamento de dependentes, educação e prevenção ao tráfico e uso de drogas. Outra proposta para a Segurança Pública é a implantação da Lei Orgânica do Corpo de Bombeiros e o investimento na perícia forense, capacitando os servidores e modernizando no atendimento.

Professor Robério Paulino (PSOL – 50)

O candidato do PSOL, Robério Paulino, defende a rediscussão do modelo militarizado da Polícia Militar, com um treinamento humanizado e privilegiando a prevenção e a inteligência no atendimento ao cidadão. O candidato ainda defende um plano de carreira para os Soldados, com melhores salários e condições de trabalho, além de oportunidade de promoção.

Robério tem como proposta ainda o aumento do efetivo da Policia Civil, além da implantação de câmeras de monitoramento e investimento na iluminação pública a fim de diminuir o índice de criminalidade. Também defende a criação da Secretaria de Direitos Humanos com interação da sociedade civil e órgãos do Governo.

Simone Dutra (PSTU – 16)

Candidata pelo PSTU, Simone Dutra defende a desmilitarização da Polícia Militar e o surgimento de um sistema de segurança pública unificada, com direito à sindicalização e à greve. A candidata ainda defende a eleição dos representantes das corporação pela população para que eles tenham o compromisso com os cidadãos e não com o Governo.

Simone Dutra critica o modelo utilizado pela PM, inibindo as manifestações e diz que isso precisa ser repensado.

Assembleia Legislativa aprova reajustes para Policiais Civis

Por Tribuna do Norte

Os deputados aprovaram hoje (10), à unanimidade, a mensagem do Governo do Estado que reajusta os salários de agentes, escrivães e delegados da Polícia Civil do Rio Grande do Norte. O aumento os agentes foi de 35,19%, enquanto para delegados chegou a 66%, números que geraram críticas por parte Sindicato dos Policiais Civis do RN (Sinpol).

Pela proposta, que tem como justificativa também a reposição salarial de quatro anos, o reajuste será parcelado e implantado de forma gradual nos meses de março e setembro de 2015 e em março e setembro de 2016.

Na discussão da matéria, alguns deputados criticaram o Governo pela demora no envio da matéria e também devido à disparidade entre os valores do reajuste para delegados e agentes. Apesar disso, os projetos não receberam votos contrários.

Ontem, membros do Sinpol foram até a Assembleia Legislativa para pedir que os deputados não colocassem a proposta em votação. O objetivo era proceder alterações na matéria para que o percentual dos benefícios fossem equiparado agentes, escrivães e delegados. No entanto, os deputados preferiram seguir com a votação e aprovaram a matéria.

Confira os novos valores:

Delegados:

TABELA 1 – A PARTIR DE 1.º DE MARÇO DE 2015
Categoria
DELEGADO ESPECIAL R$ 18.752,13
DELEGADO 3ª CLASSE R$ 16.876,92
DELEGADO 2ª CLASSE R$ 15.189,23
DELEGADO 1ª CLASSE R$ 13.670,30
DELEGADO SUBSTITUTO R$ 12.303,27

TABELA 2 – A PARTIR DE 1.º DE SETEMBRO DE 2015
Categoria
DELEGADO ESPECIAL R$ 20.268,99
DELEGADO 3ª CLASSE R$ 18.242,09
DELEGADO 2ª CLASSE R$ 16.417,88
DELEGADO 1ª CLASSE R$ 14.776,09
DELEGADO SUBSTITUTO R$ 13.298,48

TABELA 3 – A PARTIR DE 1.º DE MARÇO DE 2016
Categoria
DELEGADO ESPECIAL R$ 21.785,84
DELEGADO 3ª CLASSE R$ 19.607,26
DELEGADO 2ª CLASSE R$ 17.646,53
DELEGADO 1ª CLASSE R$ 15.881,88
DELEGADO SUBSTITUTO R$ 14.293,69

TABELA 4 – A PARTIR DE 1.º DE SETEMBRO DE 2016
Categoria
DELEGADO ESPECIAL R$ 23.302,70
DELEGADO 3ª CLASSE R$ 20.972,43
DELEGADO 2ª CLASSE R$ 18.875,19
DELEGADO 1ª CLASSE R$ 16.987,67
DELEGADO SUBSTITUTO R$ 15.288,90

TABELA 1 – A PARTIR DE 1.º DE MARÇO DE 2015 - Agentes e escrivães

CLASSES/ NÍVEL I/ NÍVEL II/ NÍVEL III/ NÍVEL IV /NÍVEL V

ESPECIAL R$ 6.266,65/ R$ 6.579,98/ R$ 6.908,98/ R$ 7.254,43/ R$ 7.617,15
1ª CLASSE R$ 5.222,20/ R$ 5.483,32/ R$ 5.757,48/ R$ 6.045,35/ R$ 6.347,62
2ª CLASSE R$ 4.351,84/ R$ 4.569,43/ R$ 4.797,90/ R$ 5.037,79/ R$ 5.289,69
3ª CLASSE R$ 3.626,54/ R$ 3.807,86/ R$ 3.998,25/ R$ 4.198,16/ R$ 4.408,07
4ª CLASSE R$ 3.022,11/ R$ 3.173,22/ R$ 3.331,88/ R$ 3.498,47/ R$ 3.673,39

TABELA 2 – A PARTIR DE 1.º DE SETEMBRO DE 2015 - Agentes e escrivães
CLASSES/ NÍVEL I/ NÍVEL II/ NÍVEL III/ NÍVEL IV/ NÍVEL V
ESPECIAL R$ 6.773,56/ R$ 7.112,23/ R$ 7.467,85/ R$ 7.841,24/ R$ 8.233,30
1ª CLASSE R$ 5.644,63/ R$ 5.926,87/ R$ 6.223,20/ R$ 6.534,36/ R$ 6.861,08
2ª CLASSE R$ 4.703,86/ R$ 4.939,05/ R$ 5.186,00/ R$ 5.445,30/ R$ 5.717,57
3ª CLASSE R$ 3.919,89/ R$ 4.115,87/ R$ 4.321,67/ R$ 4.537,75/ R$ 4.764,64
4ª CLASSE R$ 3.266,57/ R$ 3.429,90/ R$ 3.601,39/ R$ 3.781,46/ R$ 3.970,53

TABELA 3 – A PARTIR DE 1.º DE MARÇO DE 2016 - Agentes e escrivães
CLASSES/ NÍVEL I/ NÍVEL II/ NÍVEL III/ NÍVEL IV/ NÍVEL V
ESPECIAL R$ 7.280,47/ R$ 7.644,48/ R$ 8.026,71/ R$ 8.428,05/ R$ 8.849,45
1ª CLASSE R$ 6.067,05/ R$ 6.370,41/ R$ 6.688,93/ R$ 7.023,37/ R$ 7.374,54
2ª CLASSE R$ 5.055,88/ R$ 5.308,67/ R$ 5.574,10/ R$ 5.852,80/ R$ 6.145,45
3ª CLASSE R$ 4.213,24/ R$ 4.423,89/ R$ 4.645,09/ R$ 4.877,34/ R$ 5.121,21
4ª CLASSE R$ 3.511,03/ R$ 3.686,58/ R$ 3.870,91/ R$ 4.064,45/ R$ 4.267,67

TABELA 4 – A PARTIR DE 1.º DE SETEMBRO DE 2016 - Agentes e escrivães
CLASSES/ NÍVEL I/ NÍVEL II/ NÍVEL III/ NÍVEL IV/ NÍVEL V
ESPECIAL R$ 7.787,38/ R$ 8.176,74/ R$ 8.585,58/ R$ 9.014,86/ R$ 9.465,60
1ª CLASSE R$ 6.489,47/ R$ 6.813,95/ R$ 7.154,65/ R$ 7.512,37/ R$ 7.888,00
2ª CLASSE R$ 5.407,90/ R$ 5.678,29/ R$ 5.962,20/ R$ 6.260,31/ R$ 6.573,33
3ª CLASSE R$ 4.506,59/ R$ 4.731,91/ R$ 4.968,50/ R$ 5.216,93/ R$ 5.477,78
4ª CLASSE R$ 3.755,48/ R$ 3.943,26/ R$ 4.140,42/ R$ 4.347,44/ R$ 4.564,81

Polícia Militar inaugurará Sala Histórica no Quartel do Comando em julho

Por PMRN

No ano em que completa 180 anos, a Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte irá inaugurar uma sala destinada à apresentação ao público interno e externo da história da Instituição Militar do RN.

Através de portaria expedida pelo Comandante Geral da PMRN, Coronel PM Francisco Canindé de Araújo Silva, a dependência localizada no Quartel do Comando Geral recebeu a denominação de “Sala Histórica Tenente Luiz Rabelo”, em alusão ao Oficial pertencente às fileiras da Corporação Policial Militar que se destacou na cultura potiguar como fundador da Academia de Trovas do RN e ocupante da cadeira 21 da Academia Norte riograndense de Letras.

Nas considerações, o Comandante Geral ressalta que “a organização da Sala Histórica, além de facilitar o acesso democrático ao acervo histórico da Corporação, pode representar importante passo para o Museu que se pretende inserir na nova Lei de Organização Básica da PMRN, cujo anteprojeto se encontra em fase de elaboração”.

Para administrar a “Sala Histórica Tenente Luiz Rabelo”, o Comandante Geral designou o Coronel PM Ângelo Mário de Azevedo Dantas, sem prejuízo das funções que ocupa na Diretoria de Apoio Logístico, por ser um pesquisador contínuo da história da Corporação, tendo, inclusive, dois livros já publicados sobre o assunto.

A “Sala Histórica Tenente Luiz Rabelo” será inaugurada no próximo dia 25 de julho com uma solenidade a ser realizada no Quartel do Comando Geral.

PM’s reclamam de falta de previsão para pagamento das diárias da Copa

Há seis dias para o fim da Copa do Mundo no Brasil, os Policiais Militares do RN reclamam da falta de pagamento das diárias operacionais aos PM’s de serviço durante o período esportivo na cidade de Natal, uma das doze sedes do evento.

Foram quatro dias de jogos, com diárias no valor de R$ 150 por dia de jogo em Natal, conforme anunciado pelo Comandante Geral da PMRN, Coronel PM Araújo em formatura geral dois dias antes do início da Copa do Mundo em Natal.

O policiamento foi reforçado em toda a capital potiguar, retirando PM’s do setor administrativo, gerando uma verdadeira Segurança Pública para os que iriam assistir aos jogos da Copa no Arena das Dunas. No entanto, problemas pontuais na Polícia Militar surgiram, como a questão da alimentação e das diárias operacionais. Durante os jogos ainda em Natal, os PM’s lotados no CIPRED relataram que não estavam sendo beneficiados com o fornecimento dos vales alimentação que, como anunciado pelo Comandante Geral, deveria ser disponibilizado para todo o efetivo de serviço nos dias de jogos em Natal.

Outro problema relatado pelo militares do CIPRED foi a questão das diárias operacionais. De acordo com os militares, foi-lhes informado que, mesmos os PM’s de serviço extra, os mesmos não fariam jus às diárias operacionais de R$ 150 anunciadas pelo Comandante.

O blog entrou em contato com o Comandante Geral e o mesmo informou que o pagamento poderá ser realizado após o pagamento dos inativos e do 13° salário.

Passou a Copa em Natal. A Segurança Pública transcorreu na maior tranquilidade possível e sem ocorrências de maiores gravidades. o Secretário, em entrevista coletiva pós-Copa destacou o termo “integração” para a atuação das Forças de Segurança Pública na cidade. Contudo, nada se fala sobre o pagamento das diárias da Copa do Mundo para os PM’s que abdicaram de suas folgas, quase que obrigatoriamente. Já informações de PM’s do Comando de Policiamento Metropolitano afirmam que não há qualquer previsão para o repasse dos valores aos devidos detentores da remuneração extra, quais sejam os policiais militares.

Mas a Copa passou em Natal. Que venha as eleições!

Comandante promove 10 Sargentos a graduações superiores

Por PMRN

Nessa segunda-feira, 30, foi publicado no Boletim Geral da Polícia Militar do RN o ato de promoção de 10 Sargentos PM à graduações superiores.

Do total, oito 1º Sargentos foram promovidos à Subtenente do Quadro Combatente da Polícia Militar, um 3º Sargento foi promovido à graduação de 2º Sargento também do Quadro Combatente da PMRN, e um 2º Sargento foi promovido a 1º Sargento do Quadro Especialista de Músico.

As promoções são decorrentes de reposição em razão de aposentadoria ou falecimento de militar, conforme estabelece Decreto Estadual, além da análise e parecer emitido pela Procuradoria do Estado.

Os Militares promovidos deverão comparecer no Setor de Identificação da Diretoria de Pessoal no prazo de 7 dias corridos, a contar da data da publicação da portaria de promoção, para confeccionar nova carteira de identidade funcional.

Confira a relação dos promovidos:

promoção-2sgt promoção-musico-1sgt Subtenente-promoção

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.857 outros seguidores