Soldado Glaucia

"O verdadeiro desafio não é inserir uma idéia nova na mente militar, mas sim expelir a idéia antiga" (Lidell Hart)

Policial administrativo x Policial operacional

Por Danilo Ferreira, via Abordagem Policial

Entre as várias divisões pregadas no âmbito das instituições policiais (praças x oficiais, agentes x delegados, especializados x convencionais etc) uma destacável é a contraposição entre os policiais que atuam na atividade fim (operacionais) e os que atuam na atividade meio (administrativos). Os operacionais acusam os administrativos de privilégios, de viverem “na sombra”, longe dos riscos e desgastes que a atividade operacional possui. Os administrativos, por sua vez, alegam a importância do seu serviço, e dizem que sem seus esforços na estruturação das condições de trabalho da operacionalidade, nada daria certo.

De certo modo, ambos estão certos, pois essas não são afirmações excludentes. Atuar no serviço operacional de rua traz desgastes como a passagem de noites insones, exige preparo físico no desenrolar das ocorrências (é preciso correr, se manter de pé por muito tempo, carregar peso etc), e, além do mais, expõe o policial ao risco de morte, já que a possibilidade de cofronto armado com suspeitos é evidente. Nenhum desses fatores atingem o policial empregado no serviço administrativo.

Este, porém, trabalha viabilizando o serviço do policial da operacionalidade, e até diminuindo os desconfortos a que este é submetido. É o policial da administração que realiza a licitação para a compra de um coturno mais confortável. É o policial da administração que racionaliza as horas de trabalho de cada policial. É também ele que garante, através dos procedimentos burocráticos, a concessão de férias, licenças e outros direitos dos policiais.

Assim, os serviços administrativos e operacionais são complementares, embora os “de rua” passem por mais desconfortos que os demais. Uma crítica justa, neste sentido, é o gasto às vezes feito com policiais que atuarão na administração mas que possuem toda a formação de um policial operacional (de técnicas policiais, tiro, defesa pessoal…). Como fazem as Forças Armadas brasileiras, as polícias devem direcionar a carreira de determinados profissionais a determinadas funções, evitando gastos desnecessários – qual o sentido de um policial aprender tiro policial se passará toda a sua carreira trabalhando com licitação?

Outra proposta vem sendo adotada, a contratação de auxiliares administrativos ou soldados temporários para assumir funções da administração (como telefonista) que não precisam de conhecimento técnico-policial para serem desenvolvidas. A ideia é liberar o policial administrativo (com formação operacional) para atuar nas ruas. Apesar de ser uma boa tese, o cuidado se refere à desenvoltura e probidade desses auxiliares no desempenho do serviço.

De qualquer modo, é preciso se distanciar das vaidades que às vezes surgem em virtude da diferenciação administrativo x operacional. Sem todas as engrenagens, por menor que sejam, não há motor que funcione.

About these ads

3 Respostas para “Policial administrativo x Policial operacional

  1. kaveira04 outubro 12, 2011 às 15:38

    PRECISAMOS DO SETOR ADMINISTRATIVO, POIS EMPRESAS E INSTITUIÇÕES, POSSUEM NATURALMENTE UM ORGANOGRAMA OPERACIONAL QUE ENGLOBA, SETORES ADMINISTRATIVOS E OPERACIONAIS, A NOSSA POLÍCIA MILITAR, NÃO É DIFERENTE.

    TODA TROPA QUE ESTÁ NO TEATRO DE OPERAÇÕES NECESSITA DO APOIO LOGÍSTICO E ISSO SERIA IMPOSSÍVEL SE NÃO HOUVESSE A PARTE ADMINISTRATIVA. ATÉ PELA FARDA QUE ENVERGAMOS SE NÃO FOSSE A ADMINISTRAÇÃO NÃO HAVERIA NEM FARDAMENTO.

    AS DUAS ÁREAS SE LOCUPLETAM. HÁ UMA INTERDEPENDÊNCIA POSITIVA ENTRE ELAS.

    E QUANDO ESTAMOS REIVINDICANDO MELHORES SALÁRIOS, COMO ESSA QUESTÃO DO SUBSÍDIO? SERÁ QUE EXISTE TAMBÉM ESSA DIFERENÇA? CLARO QUE NÃO! E, AO INVÉS DE ESTARMOS DISCUTINDO ISSO, OU ATÉ MESMO DIVULGANDO, DEVEMOS FOCAR NO QUE VAMOS FAZER SE PERMANECER ESSA DESVALORIZAÇÃO DO MATERIAL HUMANO NA NOSSA CORPORAÇÃO, CHEGA DE INSTITUIÇÃO ARCAICA, DEVEMOS EVOLUIR E PRECISA COMEÇAR COM OS SALÁRIOS, POIS SEM MELHORES SALÁRIOS NADA ALÉM IRÁ FUNCIONAR.

  2. Jimmy outubro 7, 2011 às 8:53

    Claro que são complementares, mais é só avaliar a qtd de policias do admistrativo é muito grande e que dá pra notar que muito menos desse quantitativo gerenciavam esses policiais ostensivos, com isso os ostensivos fiam muito mais sobrecarrecados.

  3. hermanofilgueira@hotmail.com outubro 7, 2011 às 8:32

    O PIOR DE TUDO É TER A CERTEZA QUE QUEM ESTA NA RUA TROCANDO TIROS COM BANDIDOS, SENDO PERSEGUIDOS E SUBMETIDOS A IMPOSIÇOES DE CERTOS OFICIAIS DIFICILMENTE SERÃO PROMOVIDOS. ENQUANTO OUTROS EM GABINETES COM HORARIOS FLEXIVEIS SERÃO PROMOVIDOS E PARA TAL SERVIÇO TÃO IMPORTANTE AINDA RECEBEM GRATIFICAÇÕES. REALMENTE NA PM AS COISAS ANDAM AO CONTRARIO LITERALMENTE…..AINDA TEM PESSOAS QUE QUEREM COMPARAR A ESTRUTURA DA PM A GRANDES EMPRESAS PRIVADAS, RSRSR SANTA INGNORANCIA…..
    MAS DE QUALQUER FORMA UMA BOA MATERIA EXPONDO A IMPORTANCIA DE AMBOS OS LADOS SEM DENEGRIR NINGUEM, SE MANTENDO INSENTA… PARABENS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.857 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: