Soldado Glaucia

"O verdadeiro desafio não é inserir uma idéia nova na mente militar, mas sim expelir a idéia antiga" (Lidell Hart)

LEI DE PROMOÇÃO: Janelas de respeito inteiras para iminentes portas abertas

Por Ivênio Hermes, com Glaucia Paiva e Kézia Lopes

A paz não pode ser mantida à força. Somente pode ser atingida pelo entendimento. (Albert Einstein)

O Brasil passa por um momento sério em que as janelas do mundo se abrem para verem como lidamos com questões sociais, principalmente nessa fase onde o brasileiro evoca seu pseudo patriotismo através do sacudir das flâmulas, do pintar de verde e amarelo de muros e rostos, não pela exaltação da nação em si, mas pela paixão pelo futebol.

Nossos conflitos estão alhures de acabar, pois a paixão pelo esporte logo mergulhará novamente no conformismo com as questões que realmente fazem sentido para nossa sobrevivência enquanto sociedade e para a nossa capacidade de enxergar como estará nosso povo daqui a dez anos, vinte ou mais.

À deriva num oceano de problemas sobre saúde, educação e segurança, vivemos como náufragos abandonados à sorte, pulando de um destroço para o outro, garantindo apenas o tempo em que resistir aquele salva vidas temporário.

Uma das necessidades que costumamos esquecer é nossa própria segurança, que é a garantia de nossa sobrevivência. Mas alguns ainda buscam mudanças.

Preocupados com os resultados dos recentes eventos envolvendo a segurança pública no Rio Grande do Norte, principalmente com a crescente escalada nos números dos crimes contra a vida, os policiais militares Eliabe Marques, Roberto Campos e Rodrigo Maribondo, líderes dos praças acampados na Sede da Governadoria, aceitaram o convite para conversar sobre as motivações e anseios que possuem quanto ao movimento.

Depois de uma mentira, toda verdade vira dúvida.

A perspectiva de mudanças nas carreiras policiais no Rio Grande do Norte somente são conquistadas às duras penas, exemplos de outros governos se consolidaram de forma nunca antes vistas nas terras do elefante na Administração Ciarlini, e inúmeras tentativas de argumentação resultaram no descumprimento de promessas, levando à crise ora vivenciada.

Os representantes dos praças lembraram que no final de 2013 um acampamento foi armado para evidenciar a necessidade do Governo Estadual entender que algumas pautas precisavam avançar, no caso, a Lei de Promoção de Praças, que durante o período de duração do acampamento teve sua velocidade de tramitação acelerada como nunca antes, e depois, por descumprimento do governo, voltou a estancar.

Agora, novamente acampados no mesmo local, os praças não creem mais na promessa do executivo, afinal, depois de uma mentira, toda verdade vira dúvida, e não é estranho e nem inédito essa realidade, pois casos semelhantes ocorrem com outras categorias, inclusive policiais.

O problema se arrastou por dois anos após as primeiras negociações com o executivo estadual, provocando outros e novos problemas, agravando ainda mais a quase caótica situação da Segurança Pública do RN. Agora, piorado, ele se acomoda nos braços de uma nova gestão na secretaria de segurança, porém a mesma gestão do executivo estadual, corroendo a credibilidade de qualquer construção social que não possua entre seus construtores, a legítima presença dos operadores de segurança.

Além de toda celeuma já vivida, policiais constantemente sofrem com problemas de saúde decorrentes da ingestão de uma alimentação de péssima qualidade fornecida pelo Governo, problemas de mobilidade com viaturas sucateadas, sendo inclusive motivo de escárnio por alguns insensíveis da própria população que sofre com os crescentes índices de violência.

Amor à verdade

Em detrimento da verdade, direitos vem sendo cerceados, como o pagamento da progressão funcional sancionada pela própria Governadora, promoções não são devidamente efetivadas, decorrendo meses e até anos, para receberem a diferença remuneratória proveniente de uma promoção, férias são suspensas para assegurar eventos previstos há anos, como no caso da própria Copa do Mundo.

Embora o amor à verdade seja muito pregado entre a PMRN, inclusive em seus ordenamentos, o exprimir da verdade, tem sido menos praticado. Sobre as negociações, falta o Comando Geral levar os praças para um entendimento com o Secretário de Segurança, evitar certos desgastes e elucidar a situação que se fomentou no estado, não por culpa dos policiais.

A verdade deve ser utilizada como equilibradora de ações, pois enquanto foi divulgado para mídia que a Lei de Promoção dos Praças seria enviada para a Assembleia Legislativa, outras fontes de dentro do Comando Geral da PM afirmam que ela será enviada para outro lugar para ser analisada, emendada, com suas “gorduras retiradas”, e depois então enviada. Além de não respeitar a informação dada pelo Secretário Eliéser, ela ainda retiraria a participação das entidades que representam os policiais do processo legislativo.

Onde já pairavam o ceticismo e a dúvida, agora paira a desconfiança. Na reunião que o Coronel Araújo teve com os representantes no sábado à tarde, o quadro que foi exposto foi de que a Lei só chegaria à AL em meados do dia 5 de maio, que prisões estariam sendo ensaiadas e articuladas nos bastidores, que repressões aos líderes do movimento seriam evidenciadas, contrariando a política do bom diálogo.

Em conversa com o Secretário Eliéser Monteiro, essas não foram sequer possibilidades aventadas.

Portas abertas e janelas inteiras

O ideal para as negociações não está em discursos desencontrados, mas em homens e mulheres firmes em suas verdades. Para Eliabe, Maribondo e Roberto, não há nenhuma intenção em desafiar o Comando da Polícia Militar, nem o Secretário e nem a Governadora. Num dos momentos mais interessantes de nossa conversa, eles reiteraram que nunca colocaram faixas ofensivas à Governadora Rosalba, nunca gritaram que ela deveria deixar o cargo e nunca a ofenderam em nenhuma ocasião, e estendem esse respeito ao Secretário Eliéser em forma de um voto de confiança para um gestor que está pouco mais de um mês no cargo.

General Eliéser Monteiro também está em busca de soluções e avançando mais em um mês de trabalho do que seu antecessor conseguiu em mais de três anos.

Em ambos os lados todos querem paz. É um momento importante de resgatar o equilíbrio na segurança pública, contornando problemas e trabalhando em prol de uma sociedade segura e com nossos guardiões, os policiais, trabalhando satisfeitos e de acordo com as estratégias superiores.

As janelas estão inteiras na construção de um novo ambiente de entendimento, pois ninguém atirou pedras em ninguém, agora, somente é preciso manter as portas abertas.

_______________

SOBRE OS AUTORES:

Ivenio Hermes é escritor Especialista em Políticas e Gestão em Segurança Pública e Ganhador de prêmio literário Tancredo Neves. Colaborador e Associado Pleno do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Consultor de Segurança Pública da OAB/RN Mossoró. Pesquisador nas áreas de Criminologia, Direitos Humanos, Direito e Ensino Policial.

Glaucia Paiva é Policial Militar. Licenciada em História e estudante do 4º Período de Direito.

Kezia Lopes é professora, blogueira e ativista de direitos sociais.

_______________

DIREITOS AUTORAIS E REGRAS PARA REFERÊNCIAS:

É autorizada a reprodução do texto e das informações em todo ou em parte desde que respeitado o devido crédito ao(s) autor(es).

HERMES, Ivenio; PAIVA, Glaucia; LOPES, Kezia. Janelas de Respeito Inteiras para Iminentes Portas Abertas. Disponível em: < http://j.mp/1gLQ5nJ >. Publicado em: 20 abr. 2014.

About these ads

População do RN aumenta e efetivo da PM encolhe em três anos

Por Tribuna do Norte

O combate à violência no Rio Grande do Norte perdeu força nos últimos anos e vive uma dicotomia preocupante. Enquanto o  número de furtos, roubos e homicídios aumentaram, o efetivo da Polícia Militar encolheu 10% no último triênio. Desde 2010, mais de mil homens deixaram a corporação. Por outro lado, a população potiguar cresceu 6,5% no  mesmo período. Proporcionalmente, tínhamos um policial responsável por 313 habitantes. Agora, essa proporção subiu para 1 PM/372 habitantes.

Do contingente atual de 9.050 policiais militares, mais de dois mil estão cedidos a outros órgãos ou ocupam cargos administrativos na corporação.  A manobra acaba por restringir o número de homens na linha de frente a sete mil. Governo do Estado estuda a possibilidade de realizar concurso para área enquanto parte da categoria promete parar as atividades na próxima terça-feira.

Os números revelam que a principal instituição responsável pelo enfrentamento da violência  no Estado sofre desaparelhamento. O comandante da PM/RN, coronel Francisco Canindé Araújo aponta que o déficit de policiais é de 4.416 homens. “Existe uma lei estadual que estabelece nosso efetivo em  13.466 praças e oficiais. Nunca chegamos perto disso. O máximo do nosso contingente foi registrado em 2010, quando assumi o cargo de comandante. Tínhamos 10.100 homens”, lembra ao fazer referência à Lei Complementar Estadual nº 449, aprovada na Assembleia Legislativa em 2010.

A dificuldade em dar respostas positivas contra a bandidagem é composta por outros elementos. Pesa ainda o fato da necessidade de aumento no efetivo não estar restrita à Polícia Militar. A Polícia Civil e Corpo de Bombeiros também registram deficiências. Segundo o Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Sinpol/RN), o déficit atual é de 3.700 policiais. “A sociedade potiguar necessita de mais delegados, escrivães e agentes. O quadro existente é insuficiente”, avisa o presidente do sindicato, Djair Oliveira.

O efetivo da Civil também é previsto no ordenamento jurídico do Estado. A Lei Complementar nº 417/2010 define 5.150 homens para a polícia investigativa. “Mas, hoje, temos apenas 1.450 policiais para dar conta dos 167 municípios do Estado”, avisa Djair.

Com relação ao Corpo de Bombeiros, o RN conta com 675 policiais na corporação. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU) – que preconiza um bombeiro para cada grupo de mil habitantes – o Estado deveria ter um efetivo de  3.200 homens, ou seja, o déficit atual é de 2.500 bombeiros. Em dezembro do ano passado, o Governo do Estado chegou a anunciar a realização de concurso público para oficiais e praças que reforçariam as unidades operacionais em Natal, São Gonçalo, Mossoró, Caicó e Pau dos Ferros. Até o momento, o certame não foi deflagrado. 

A deficiência nos efetivos policiais refletem diretamente nos índices de violência registrados no Estado. A escalada da violência é perceptível à sociedade e os números revelam que a ferida está aberta. Segundo dados do Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) e Conselho Estadual de Direitos Humanos, em 2012, o RN foi palco de 1.219 homicídios. No ano passado, foram 1.653 assassinatos. Este ano, até março passado, já são 402 mortes violentas.

Mas há outro dado que expõe a presença dos bandidos e ausência dos policiais. Somente na capital do Estado, em 2013, foram 2.789 assaltos a transeuntes. Média de 232 assaltos por mês, ou sete por dia. A falta de patrulhamento é apontada como uma das principais causas do fenômeno.

LEI DE PROMOÇÃO: Comando da PM reúne com associações e informa resultado de reunião com Secretário de Segurança

Por Glaucia Paiva

reunião_cmdoNa manhã deste sábado (19), a cúpula da Segurança Pública do RN se reuniu para tratar de assuntos da Segurança Pública do Estado. Com o anúncio da paralisação dos policiais e bombeiros militares do RN para a próxima terça-feira, um dos assuntos da pauta foi a Lei de Promoção de Praças.

Após a reunião com o Secretário de Segurança, o Comandante da Polícia Militar, Coronel PM Araújo, e o Comandante do Corpo de Bombeiros Militar, Coronel BM Dantas, convocaram as associações dos policias e bombeiros militares para informar o que fora definido pelo Governo do Estado.

De acordo com o Comandante Geral da PM, em nota publicada no site oficial da PM, “no tocante à Polícia Militar, a Governadora Rosalba Ciarlini determinou o encaminhamento de um Projeto de Lei da Diária Operacional, majorando o valor de forma escalonada, encaminhou para assinatura dos atos de promoções dos Oficiais, além do encaminhamento à Assembleia Legislativa do Projeto de Lei de Promoção de Praças, providências estas que serão efetuadas até o dia 1º de maio de 2014″.

Durante a reunião e tendo em vista o compromisso divulgado pelo Governo, o Comandante Geral solicitou aos presidentes de associações a retirada do acampamento montado na Governadoria há mais de 10 dias. No entanto, as associações levarão a informação aos praças da PMRN na próxima terça-feira (22), data marcada para ocorrer uma paralisação.

De acordo com as associações, o ato marcado para a próxima terça-feira (22) continua e convoca todos os policiais e bombeiros militares para se fazerem presentes a partir das 6 horas da manhã e decidirem juntos sobre o anúncio das medidas do Governo do Estado.

BAHIA: Prisão de Prisco contraria Lei da Anistia concedida por Dilma

Por Glaucia Paiva

44180-prisco_dario09022012O Capitão Tadeu, atual líder do movimento da PM baiana, contestou a prisão de Marco Prisco alegando contrariar a Lei da Anistia concedida aos policiais militares de 18 Estados Brasileiros, incluindo o Distrito Federal.

De acordo com a Lei da Anistia (Lei nº 12.191/ 2010, alterada pelas Leis nº 12.505/2011 e 12.848/2013), a anistia que trata a Lei abrange os crimes definidos no Código Penal Militar e as infrações disciplinares conexas, não incluindo os crimes definidos no Código Penal e nas Leis Penais Especiais.

Ocorre que o Mandado de Prisão emitido pelo Juiz Federal Antônio Oswaldo Scarpa não faz qualquer menção aos crimes cometidos pelo vereador Marco Prisco, apenas alega visar “a garantia da ordem pública”, mencionando os artigos 311 a 313 do Código de Processo Penal.

Já o art. 313 afirma que a decretação da prisão preventiva será admitida nos crimes dolosos punidos com pena privativa de liberdade máxima superior a 4 anos; ou se tiver sido condenado por outro crime doloso, em sentença transitada em julgado; ou, ainda, se o crime envolver violência doméstica e familiar contra a mulher, criança, adolescente, idoso, enfermo ou pessoa com deficiência, para garantir a execução de medidas protetivas de urgência.

Foi cogitado que a motivação da prisão de Prisco teria sido a Lei de Segurança Nacional, mas ainda não foi confirmada a informação.

Após prisão de Prisco, Capitão Tadeu conclama nova paralisação da PM na Bahia

Por Bahia Notícias

Moção de Repúdio emitida pelo Capitão Tadeu

Moção de Repúdio emitida pelo Capitão Tadeu

O deputado estadual Capitão Tadeu (PSB) emitiu em suas redes sociais uma moção de repúdio a prisão do vereador de Salvador Marco Prisco (PSDB), líder da greve da PM na Bahia, e conclamou a tropa para que “suspenda as atividades imediatamente até que o governo providencie a soltura de Prisco”. A assessoria de Tadeu confirmou a veracidade da nota publicada no Facebook e disse que o deputado estava em Jacobina quando soube da prisão, mas já está em deslocamento para Salvador, onde pretende assumir o comando da greve. O Bahia Notícias entrou em contato com a assessoria da Secretaria de Segurança Pública, que informou que, por enquanto, não vai tomar nenhuma posição sobre o caso.

Veja a íntegra do moção de repúdio do deputado Capitão Tadeu, expedido pelo gabinete na AL-BA :
“Mesmo após Marco Prisco, vereador de Salvador, ter assinado um acordo aceitando o final da greve, contrariando inclusive parte da tropa, o governo mais uma vez trai a boa vontade dos policiais e bombeiros militares e manda prender Prisco. A prisão ocorre na data que os cristãos comemoram a Sexta-Feira Santa, um dia após o acordo que pôs fim à greve, caracterizando um ato de traição do governo para com os policiais militares. Dessa forma, neste momento, por exigência dos policiais e bombeiros militares, saio da condição de moderador do movimento reivindicatório e assumo a liderança do mesmo. Assim sendo, conclamo toda a tropa para suspender as atividades IMEDIATAMENTE até que o governo providencie a soltura de Prisco.” 

PM’s do BOPE fazem boletim de ocorrência após receber quentinhas azedas

Por Glaucia Paiva

PM’s do BOPE foram a Delegacia denunciar empresa fornecedora de quentinhas

Na tarde desta sexta-feira, 18, policiais militares do BOPE se deslocaram até a Delegacia de Polícia Civil – Plantão Zona Norte, para confeccionar um boletim de ocorrência contra a empresa que fornece alimentação à Polícia Militar do RN.

Os PM’s se cansaram de receber quentinhas estragadas e resolveram prestar queixa contra a empresa fornecedora. Na última semana, os policiais militares do BOPE passaram mal com as quentinhas recebidas.

De acordo com o Blog do BG, “o mal cheiro do peixe ia longe”, relatou o portal sobre as quentinhas recebidas nesta sexta-feira da paixão.

Após prisão de líder, PM’s ameaçam retomar greve na Bahia

Por Folha de São Paulo

44180-prisco_dario09022012Os policiais militares da Bahia ameaçam retomar a greve no Estado em retaliação à prisão, nesta sexta-feira (18), do soldado Marco Prisco, líder do movimento encerrado nesta semana.

Vereador em Salvador pelo PSDB e diretor-geral da ASPRA, uma das associações que encabeçaram a paralisação, Prisco foi detido pela Polícia Federal em um resort na região da Costa do Sauípe (litoral norte da Bahia), segundo informações do Ministério Público Federal.

De acordo com o vice-presidente da ASPRA, Fábio Brito, a prisão de Prisco poderá desencadear uma nova paralisação da PM baiana. A paralisação anterior durou cerca de dois dias e foi encerrada ontem (17) após acordo entre os policiais e o governo do Estado.

Brito afirmou que líderes da categoria estão reunidos e devem realizar uma nova assembleia nesta sexta, no mesmo parque aquático inativo onde foi deflagrada a greve da última terça-feira (15).

“Foi uma traição. Assim fica difícil confiar nos Poderes da Bahia. Os policiais não ficaram satisfeitos em saber que no dia seguinte ao fim da greve um dos nossos líderes foi preso”, disse.

A prisão, segundo a Procuradoria, que fez o pedido, não tem relação com a greve desta semana, mas com a paralisação de 2012.

O Ministério Público Federal move desde abril de 2013 uma ação penal que resultou na denúncia de Prisco e de outras seis pessoas sob acusação de crimes cometidos durante a greve anterior da PM baiana, que durou 12 dias entre janeiro e fevereiro de 2012.

Em nota, o MPF afirmou que Prisco é processado por “crime político grave” e que a intenção do pedido de prisão foi “garantir a ordem pública”. O vereador será levado para Brasília, onde ficará no Complexo Penitenciário da Papuda. Qualquer recurso contra sua detenção, segundo o MPF, só poderá ser ajuizado no STF.

Líder da greve da PM na Bahia é preso em Salvador

Por G1/BA

gApontado como o líder da greve da Polícia Militar na Bahia, o vereador Marco Prisco (PSDB) foi preso na tarde desta sexta-feira (18) em Santo Antônio de Jesus, a 190 km de Salvador, segundo informações do Ministério Público Federal (MPF).

A prisão preventiva foi determinada pela Justiça Federal na terça-feira (15), informou o MPF, que fez o pedido nesta segunda.

Segundo a decisão da 17ª Vara Federal, a prisão é baseada nos artigos 311 a 313 do Código de Processo Penal, visando a “garantia da ordem pública”, e deverá ser cumprida por 90 dias “em estabelecimento de segurança máxima”.

O MPF afirma que ele somente pode recorrer ao Supremo Tribunal Federal. O pedido faz parte de uma ação penal contra sete acusados por diversos crimes na greve de 2012, que foram denunciados no ano passado.

A Polícia Federal informou em nota que a prisão ocorreu em Costa do Sauípe, com apoio da Polícia Rodoviária Federal e da Aeronáutica. Segundo a PF, ele será transferido para o Presídio Federal de Brasília (Complexo da Papuda) nesta tarde.

Prisco é vereador e diretor-geral da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares no Estado da Bahia (Aspra).

A greve da Polícia Militar da Bahia teve início na terça-feira e foi encerrada na tarde de quinta-feira (17). Segundo a Secretaria de Segurança, foram registrados 59 homicídios em Salvador e região metropolitana durante a paralisação, 156 carros roubados e seis furtados.

Após assembleia realizada entre líderes do movimento e PMs em Salvador, Prisco afirmou que a categoria conseguiu um aumento de 25% no soldo (remuneração específica dos policiais) para o administrativo da PM; de 45% para o operacional e de 60% para motoristas. Também foi aprovada a extinção do Código de Ética, nova discussão sobre o plano de carreira e fim do curso de cabo.

“Os benefícios conseguidos hoje são para ativos e inativos”, afirmou o líder da PM. “Estamos indo para a governadoria para a entrega do documento, pois, primeiro, precisávamos conversar com a categoria para votação e depois levar o documento assinado para o governo”, afirmou.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que “não participou da operação de cumprimento do mandado de prisão do vereador de Salvador” e que “assegura o cumprimento de todos os itens do acordo firmado com as associações representativas da Polícia Militar”.

“A prisão é arbitrária. Ele é vereador eleito, tinha que ser domiciliar ou na Câmara de Vereadores, e não em presídio de segurança máxima. É o que garante a Constituição. É um absurdo”, afirmou ao G1 Fábio Brito, vice-presidente da Aspra.

A greve foi considerada ilegal pela Justiça da Bahia, que estipulou multa diária de R$ 50 mil. O governo afirmou que as reivindicações das associações de policiais grevistas “ultrapassavam o limite orçamentário do Estado”.

Na quinta, a Justiça Federal determinou a suspensão imediata da paralisação, estipulou multa em R$ 1,4 milhão e bloqueou bens das associações grevistas.

Tropas do Exército reforçaram a segurança nas ruas de Salvador. Durante a madrugada de terça (15), houve uma série de saques e arrombamentos pela cidade.

Procurador Geral do Estado tentará encontrar solução com o Governo sobre paralisação dos militares no RN

Por Jornal de Hoje

Sabendo da decisão dos Policiais e Bombeiros Militares de entrarem em greve no próximo dia 22, o Procurador Geral do Estado, Miguel Josino, afirmou que irá procurar se reunir com a Governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini e com o Secretário de Segurança do Estado, General Eliéser Monteiro, para tentar encontrar uma solução para o problema.

“É um problema que preocupa muito. Temos que ter muito cuidado com essa situação. Temos que conversar para saber de que forma podemos ajudar a melhorar essa situação. Sabemos que é um ano político, de Copa do Mundo, mas não podemos de deixar de pensar nos problemas que a população está passando agora pela falta de segurança. Todos temos que assumir nossas responsabilidades para melhorar essa situação. Por isso vamos conversar para saber o que a Procuradoria pode fazer para ajudar”, destacou.

No início do mês, o próprio Miguel Josino pediu judicialmente que desembargador Cláudio Santos determinasse a ilegalidade da greve que os Policiais Civis iriam fazer a partir do último dia 7. O pedido foi aceito e Cláudio Santos determinou que, em caso de paralisação, os dirigentes do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Sinpol-RN) seriam multados no valor de R$ 10 mil por dia de descumprimento, até o limite de R$ 100 mil em caso de novas paralisações. Além disso, também se manteve a multa cominatória majorada para R$ 15 mil, conforme decisão de fls. 137/139, em desfavor do referido órgão de classe, por dia de descumprimento. A decisão também determina que o Estado do RN abra procedimento administrativo disciplinar, visando à apuração de eventual infração administrativa cometida pelos servidores sindicalizados, bem como informe, quanto à paralisação ocorrida e as providências disciplinares tomadas.

Como base para a medida, o desembargador se respaldou no entendimento do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que considerou correto o corte de ponto de policiais federais que fizeram paralisação a partir de janeiro deste ano em todo o país. O entendimento do Supremo é que as atividades desenvolvidas pela Polícia Civil e Militar são análogas às dos militares, em relação aos quais a Constituição expressamente proíbe a greve [art. 142, parágrafo 3º, IV]. O relator também menciona decisão do ministro Gilmar Mendes, de 17 de março deste ano, no sentido de que a “deflagração da greve corresponde à suspensão do contrato de trabalho, a ensejar o corte de ponto dos servidores grevistas, com o correspondente desconto, nos seus vencimentos, dos dias parados”.

Dessa vez, Miguel Josino frisou que inicialmente não pretende entrar com nenhuma medida judicial para proibir a paralisação. “Apesar desse entendimento do Supremo Tribunal Federal, estamos tendo paralisações no Brasil. Vejamos o caso da Bahia, que está passando por um problema sério, já que tanto a Polícia Militar como a Civil está parada. Portanto, vamos esgotar o diálogo para tentar achar a melhor solução sem nenhum tipo de medida mais drástica”.

Polícia Civil chegou a pedir intervenção na Sesed

Depois que teve a greve impedida por decisão judicial, o Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Sinpol-RN) a protocolar, no dia 9 de abril, na Procuradoria Geral de Justiça, um pedido de intervenção na Secretaria Estadual da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) pelo atual momento da segurança no Estado. O documento foi entregue ao procurador geral de justiça, Rinaldo Reis, que ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Além disso, as delegações das seleções que irão jogar em Natal Durante a Copa do Mundo, também irão receber esse documento, que contém um relatório apontando todos os problemas pelos quais a segurança no RN tem passado. A reclusão de presos em delegacias, estruturas precária dos prédios das DPs e falta de profissionais são as principais queixas apresentadas pela categoria. O relatório também será entregue para a Organização das Nações Unidas (ONU).

Líder da greve da PM na Bahia virá dar apoio em mobilização dos militares no RN

Por Glaucia Paiva

Na noite dessa quinta-feira, 17, foi divulgado em grupos do WathsApp sobre a possibilidade da chegada do Soldado Prisco, principal líder da greve da Polícia Militar na Bahia, na próxima segunda-feira.

A informação foi repassada e confirmada pelo Sargento Eliabe, Presidente da Associação de Subtenentes e Sargentos da PM e Bombeiros: “o nosso colega Soldado Prisco desembarca em nosso Estado para dar total apoio a nossa mobilização”, disse o Sargento.

O Soldado Prisco, atualmente ocupa o cargo eletivo de vereador em Salvador, e é conhecido nacionalmente por sua participação nas mobilizações nas Polícias Militares de todo o país.

“Vamos receber aqui o colega com muita honra que irá cerrar fileira conosco”, concluiu o Sargento.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.740 outros seguidores